Socialização do Pastor de Shetland

Para criar um Pastor de Shetland equilibrado, a socialização precisa começar cedo. Esta etapa é chamada de socialização primária, tem início a partir dos 30 dias de vida e se estende até, aproximadamente, 3 meses de idade. Esse é um dos períodos mais importantes da vida do cão. O papel do criador, nesta etapa, é fundamental. Cabe a ele estimular os filhotes, expondo-os a ruídos, diferentes tipos de brinquedos, pisos instáveis, casinhas, caixas de transporte, entre outros. Nessa fase, os filhotes também devem interagir com a mãe e os irmãos, de forma a adquirir o conhecimento e os significados dos sinais e expressões corporais. Devem se relacionar com outros cães (tranquilos e vacinados), gatos, aves, etc, para que, quando adultos, possam conviver bem em diversos ambientes e com outros animais.

A partir dos 60 dias de vida, os filhotes estão prontos para irem para novos lares. Os estímulos iniciais fornecidos pelo criador devem ser continuados pelos novos proprietários. Nesta etapa, os filhotes precisam conhecer pessoas diferentes, carros, elevadores, escadas, sons de caminhões, motos, além de serem expostos a todo e qualquer tipo de objeto. Estes estímulos devem ser supervisionados de forma a garantir que as primeiras experiências sejam positivas e seguras. Assim, não terão medo de coisas, ambientes, outros animais e saberão conviver com todos os seres humanos (crianças, idosos e pessoas de todas as etnias) com naturalidade, tornando-os tranquilos e equilibrados para serem cães de companhia, de esporte ou trabalho.

Socializar o filhote corretamente pode prevenir problemas de comportamento como medo, ansiedade e agressividade, além de deixá-lo mais seguro e menos estressado em novas situações.

Deixe uma resposta